Peça pelo Ifood

Funcional ou fit?

Praticando sustentabilidade: Locavorismo
7 de fevereiro de 2019
Show all

Funcional ou fit?

Uma dúvida recorrente aqui no Cora é se a nossa gastronomia é funcional ou fit. Dois conceitos que estão na boca das pessoas, embora com muitas dúvidas para a maioria delas. Você sabe a diferença entre funcional e fit? Continua lendo que a gente vai explicar.

A principal característica da gastronomia funcional é produzir alimentos que, além das suas propriedades nutricionais, promova efeitos metabólicos, fisiológicos, que gerem mais benefícios à saúde e ao bem-estar. Quando consumidos regularmente, como parte da dieta usual, produzem efeitos de prevenção, levando, inclusive, à redução do risco de doenças. Produtos artificiais como conservantes, corantes e adoçantes devem ser evitados. O próprio nome funcional já nos dá uma pista de sua definição: alimento feito com a intenção de fazer o corpo funcionar melhor.

Já a culinária fit, que vem de fitness, tem seu foco voltado para a estética. Trata-se de uma gastronomia que prioriza preparações com menos calorias.

São objetivos diferentes e que se confundem porque algumas vezes o funcional pode também ser fit e o fit pode também ser funcional, mas não é uma regra. É preciso deixar claro que a gastronomia funcional não tem como objetivo a redução calórica.

Um dos equívocos mais comuns quando se fala de gastronomia funcional é que ela está necessariamente ligada à restrição do glúten e da lactose. Esqueça essa ideia. É preciso conhecer melhor os alimentos, buscar seus benefícios e não seguir modinhas.

No Cora acreditamos muito no poder dos alimentos funcionais e buscamos realizar preparações que, além de super saborosas, carreguem benefícios em sua composição.

Abaixo listamos alguns alimentos funcionais que você pode facilmente colocar na sua rotina para uma vida mais saudável:

Frutas e vegetais – Melhoram a saúde intestinal, reduzem o risco de câncer de cólon e atuam no controle do colesterol e glicemia;
Aveia: Promove um melhor funcionamento do sistema digestivo, reduz os níveis de colesterol, auxilia na eliminação de gordura ingerida.

Soja e derivados – Redução do risco de doenças cardiovasculares, alívio das ondas de calor em mulheres na menopausa;

Brócolis, repolho, couve-flor e rabanete – Aumento da atividade de enzimas que combatem a formação de células cancerígenas;

Tomate, goiaba e melancia – Atividade antioxidante, redução do risco de doenças cardiovasculares e proteção contra o câncer (especialmente de próstata);

Folhas Verdes – Proteção contra degeneração macular, manutenção de uma boa visão;

Linhaça – Inibição de tumores, prevenção de doenças cardiovasculares e controle de doenças autoimunes e inflamatórias;
Peixes frescos (sardinha, salmão, atum, cavala e bacalhau)
Prevenção de Infarto e AVC; redução do colesterol “ruim” (LDL) e aumento do bom (HDL).

Azeite de oliva: Auxilia na redução do colesterol e melhora o processo digestivo de outras gorduras.

Castanha do pará: Auxilia na prevenção de problemas cardíacos, impedindo a degeneração celular e protegendo o sistema imunológico.

Linhaça: Auxilia no controle glicêmico, regulariza o trato intestinal e promove saciedade. Além destes benefícios, alivia os sintomas da TPM.

Soja: Diminui o risco de desenvolver câncer e combate doenças cardiovasculares.

Alho: Possui atividade antimicrobiana e bactericida. Colabora para reduzir a pressão arterial.

Viu como pode ser fácil manter uma alimentação variada, saudável e funcional? Nossa dica é: fique sempre atento à sua alimentação, ela pode oferecer bem mais do que saciedade. Até a próxima!

Gostou? Compartilhe com os amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *